Você só é incrível porque não te conhecem.


De perto são chatos. A distância maximiza a fantasia de ideal. Fernanda tinha vinte e quatro anos quando ouviu da sua mãe, Andréia, pela primeira vez, que era chorona e demandava atenção dos outros por causa de “coisas da vida”. Fernanda gostava de Almodóvar, de Édith Piaf; mas amava mesmo Shakespeare, Winnicott e falava com […]


De perto são chatos. A distância maximiza a fantasia de ideal.

Fernanda tinha vinte e quatro anos quando ouviu da sua mãe, Andréia, pela primeira vez, que era chorona e demandava atenção dos outros por causa de “coisas da vida”. Fernanda gostava de Almodóvar, de Édith Piaf; mas amava mesmo Shakespeare, Winnicott e falava com uma certa propriedade de Melanie Klein. Pensamentos, sentimentos e análise da vida, fundamentos básicos da sua construção como indivíduo. Tudo isso a fazia ter uma certa sensibilidade e chorar com facilidade. Eram apenas formas de ser. Nas conversas entre amigos, ria de si em uma tentativa de afugentar o olhar alheio, que parecia ter bastante interesse na vulnerabilidade dos outros. Se ficasse exposta a ponto de perceberem suas fragilidades, poderia tornar-se evidência; e ela tinha pavor de o ser. Da mesma forma como algumas crianças que, ao descobrirem o defeito do amiguinho, usam-no de martírio na tentativa infame de deprecia-lo e minimizar sua potência de atuação no mundo.

Se não fosse costureira, seria atriz; não era necessária alguma sagacidade para perceber que ela costumava atuar no dia a dia. E quem não o faz? Dizia. Duas de suas amigas que só conviviam com ela em sala de aula chamavam-na de “a mais inteligente entre nós” e falavam baixinho, entre si, o quanto gostariam de ser como ela. Não sabiam das críticas de sua mãe, do ex-namorado que preferiu romper a ter que lidar com a sua grosseria tão impregnada na sua forma de existir, nem do dia em que empurrou uma senhora de uns sessenta anos na fila do supermercado durante uma discussão. Tudo por ser impulsiva e por não controlar sua agressividade quando se sentia ameaçada.

Andréia, sua mãe, por sua vez, era chamada de megalomaníaca por suas irmãs mais novas. “Se a mamãe estivesse viva, teria vergonha de você”, diziam, bêbadas, nas festas da família Correa & Silva. Paula, a irmã mais nova, não percebia que seu repertório de conversação estava gasto e que ninguém tinha sequer a paciência para ouvi-la. Era chamada de “faladeira” por falar compulsivamente mesmo quando as pessoas demonstravam impaciência e sequer entendiam todas aquelas palavras que ela repetia sem parar. Mas, dentre todos os membros da família, ela era a única que parecia saber lidar com a construção de ideal e do imaginário coletivo. Nos passeios noturnos com o seu cão, pensava que, de perto, não havia perfeição e que sua vida dependia da sua capacidade de escolher qual defeito alheio iria suportar em prol dos benefícios daquele vínculo afetivo. Para ela, era realmente uma questão de suportar. Como uma probabilidade estatística, tentava desvendar os mistérios de seu próprio eu ousando se conhecer tão bem que certamente poderia realizar encaixes externos cada vez mais satisfatórios; a isso, chamaria de felicidade.

Sua filha mais velha, Beatriz, tímida, de poucos amigos e com personalidade egocêntrica, reclamava da vida na ânsia de que suas lamúrias fossem ouvidas por alguém. Quem? Nem ela sabia. Adorava postar fotos nas suas redes sociais em uma busca incessante por ser vista e admirada; tudo para ver se acontecia de calar sua falta de tudo, tão estrutural. Eles, seus admiradores, de longe, diziam que era linda, tão linda e cheia de qualidades que tinha quase um milhão de seguidores no Instagram. De longe, falavam sobre como a vida dela parecia fantástica pela movimentação das fotos que pareciam, sem esforço, estar dentro de uma rotina entupida de consumismo. Seu hobby predileto era fazer stories falando da importância de se atrever no mundo para conquistar os objetivos. Com dezenove anos, tinha dois imóveis quitados, três idiomas fluentes, um carro importado e quatro sociedades em empresas de publicidade; tudo herdado de seu avô milionário. Pelas fotos, via-se uma pele que fazia muitas pessoas desejarem nascer de novo assim, tão perfeita, tão imune à feiura, tão atleta, jovem, rica e feliz. Ela parecia cumprir todos os requisitos de sucesso tão condicionado ao ter. Tudo, tudo por não a conhecerem pessoalmente.



Eleições

  • Alanzoka, Casimiro e outros streamers da Twitch declaram voto

    Alanzoka, Casimiro e outros streamers da Twitch declaram voto

    , ,

    Streamers com grande audiência revelam em qual candidato votam no segundo turno das eleições 2022.

  • Três youtubers bolsonaristas que chegam ao Congresso

    Três youtubers bolsonaristas que chegam ao Congresso

    ,

    Três youtubers foram eleitos este ano, e todos estão associados a fenômenos de violência. Gustavo Gayer e Nikolas Ferreira são propagadores de um discurso político violento, enquanto o Delegado da Cunha é conhecido por publicar vídeos de operações policiais degradantes à comunidades paulistanas.

  • Bolsonarista prejudica eleição ao votar duas vezes em Lisboa; entenda o caso

    Bolsonarista prejudica eleição ao votar duas vezes em Lisboa; entenda o caso

    Para especialista em Direito Eleitoral, o Cônsul-geral do Brasil em Lisboa poderia se envolver na convocação dos eleitores se comprovados que os votos anulados poderiam afetar o resultado da eleição de 1º turno.


  • Bolsonaro retém R$2,4 bilhões do MEC

    Bolsonaro retém R$2,4 bilhões do MEC

    Planalto divulga decreto anunciando A retenção de 2,4 bilhões de institutos e universidades federais. A medida vale para despesas não obrigatórias, como recursos de assistência estudantil, salários de funcionários terceirizados e muitos outros.

  • Dezesseis anos de WikiLeaks

    Dezesseis anos de WikiLeaks

    , , , ,

    No mês de aniversário de 16 anos do WikiLeaks, é imprescindível lembrar que a organização se tornou uma questão controversa e divisória entre as organizações de direitos civis; maioria concorda com o valor inegável que o WikiLeaks teve ao denunciar violações de direitos humanos e liberdades civis.

  • Alanzoka, Casimiro e outros streamers da Twitch declaram voto

    Alanzoka, Casimiro e outros streamers da Twitch declaram voto

    , ,

    Streamers com grande audiência revelam em qual candidato votam no segundo turno das eleições 2022.

  • Três youtubers bolsonaristas que chegam ao Congresso

    Três youtubers bolsonaristas que chegam ao Congresso

    ,

    Três youtubers foram eleitos este ano, e todos estão associados a fenômenos de violência. Gustavo Gayer e Nikolas Ferreira são propagadores de um discurso político violento, enquanto o Delegado da Cunha é conhecido por publicar vídeos de operações policiais degradantes à comunidades paulistanas.

  • Bolsonarista prejudica eleição ao votar duas vezes em Lisboa; entenda o caso

    Bolsonarista prejudica eleição ao votar duas vezes em Lisboa; entenda o caso

    Para especialista em Direito Eleitoral, o Cônsul-geral do Brasil em Lisboa poderia se envolver na convocação dos eleitores se comprovados que os votos anulados poderiam afetar o resultado da eleição de 1º turno.

  • Após infiltração, grupos bolsonaristas no Telegram reforçam moderação

    Após infiltração, grupos bolsonaristas no Telegram reforçam moderação

    ,

    Dois dias após o primeiro turno das eleições, usuários de esquerda passaram a infiltrar grupos bolsonaristas no Telegram. O resultado foi o reforço da moderação por parte dos administradores, e a aposta em teorias conspiratórias.

  • Todo fascista é corno

    Todo fascista é corno

    ,

    Não é difícil entender que a vontade de escrever é nula, assim como a vontade de acordar, sair da cama e realizar que esse bando de corno não tem mais medo de cantar aos quatro ventos: “sou fascista na avenida e minha escola é a mais querida dos reaça nacional!”.

  • No Telegram, bolsonaristas espalham fake news sobre eleitores mortos votando no Nordeste

    No Telegram, bolsonaristas espalham fake news sobre eleitores mortos votando no Nordeste

    ,

    Grupos bolsonaristas no Telegram reforçam táticas xenofóbicas e criam fake news sobre eleitores mortos votando no Nordeste.


Tem uma pauta?
Estamos aqui

Toda ideia tem o potencial de ser uma boa ideia. Gostamos de ouvir ideias de pauta, denúncias ou sugestões de nossos leitores. Se quiser compartilhar, conte conosco — e olha, pode ser anônimo, tá?

Seja notificado de novas publicações, assine.

Ao se inscrever, o WordPress te atualiza gratuitamente toda vez que publicamos algo novo. Assim, você pode acompanhar nossa redação! Não se esqueça de nos seguir nas redes sociais.

A revista o sabiá é um veículo de mídia independente e sem fins lucrativos criado e equipado por jovens. Buscamos usar o jornalismo e a comunicação como um mecanismo de mudança do futuro das novas gerações.