O construtivismo – conhecimento construído pela criança

Jean Piaget foi um biólogo que decidiu se submeter à observação científica do processo de aquisição do conhecimento do ser humano, tendo como foco principal a criança.

Piaget criou um campo de investigação que nomeou de epistemologia genética. Ela é uma teoria do conhecimento centrada no desenvolvimento natural da criança, a partir do estudo das concepções infantis – sendo elas de tempo, espaço, movimento, velocidade e causalidade física. Segundo seus estudos, o pensamento infantil passa por quatro estágios, começando pelo nascimento até o início da adolescência – quando é atingida a plena capacidade de raciocínio.

Seus estudos e descobertas tiveram grandes impactos dentro da pedagogia pois mostraram que a transmissão de conhecimentos é uma possibilidade limitada. Se a criança já souber o que lhe está sendo ensinado, ela não irá se interessar pelo assunto; sendo assim, ela se interessaria apenas por conteúdos que cognitivamente lhe façam falta.

Para Piaget, o conhecimento se dá a partir das descobertas que a própria criança faz. Outros pesquisadores já tinham tirado essa conclusão, mas ele comprovou-a na prática, dando vida ao construtivismo.

“Cada vez que alguém ensina prematuramente a uma criança algo que ela poderia ter descoberto, essa criança é impedida de inventá-la e, consequentemente, de compreendê-la completamente” Jean Piaget.

O professor, então, deve estimular a criança, provoca-la para que queira adquirir o conhecimento, dando valor e verdadeiro significado para cada aula. No entanto, não se desprestigia o professor, pois é por meio dele que a turma assimilará o conteúdo, além das colocações e intervenções, ao mesmo tempo e da mesma maneira.

O construtivismo é um método educativo que faz com que haja foco na inteligência do aluno. Trazendo tendências pedagógicas e psicológicas e sabendo que a aprendizagem é um procedimento individual, a relação professor-aluno torna-se mais harmoniosa.

Dentro dessa metodologia, o professor não tem mais aquele árduo papel de transmissor de conhecimento, mas sim de intermediador. Ou seja, por meio de sequencias didáticas, ele trabalha o assunto trazido pelos alunos a partir de suas próprias explorações – o aluno está em contato direto com o conteúdo e não com o professor. O professor deve então, criar situações e motivar seus alunos sobre o que está sendo estudado.

“O professor não ensina, mas arranja modos de a própria criança descobrir. Cria situações-problemas” Jean Piaget.

No Brasil, o Construtivismo é muito famoso e muitas escolas ao redor do país adotam tal método. Contudo há muitas críticas – sobretudo quando aplicado às camadas sociais mais baixas –  afirmando que as realidades das crianças são muito diferentes, mas o método adequa-se à realidade social de cada um e não o contrário.



TEM UMA PAUTA?
ESTAMOS AQUI!

Toda ideia tem o potencial de ser uma boa ideia. Gostamos de ouvir ideias de pauta, denúncias ou sugestões de nossos leitores. Se quiser compartilhar, conte conosco — e olha, pode ser anônimo, tá?


Em destaque

RECENTES

A revista o sabiá é um veículo de mídia independente e sem fins lucrativos, que busca usar o jornalismo e a comunicação como um mecanismo de mudança no futuro das novas gerações.