Um ataque aéreo israelense na Cidade de Gaza matou pelo menos 10 palestinos, a maioria crianças, no início desse sábado (15) no ataque mais mortal desde a reiniciação da batalha entre Israel e governantes militantes do Hamas em Gaza, no início desta semana.

A última explosão de violência começou em Jerusalém e se espalhou por toda a região, com confrontos árabes-judeus e tumultos em cidades mistas de Israel. Também ocorreram protestos de apoio aos palestinos na sexta-feira, na região da Cisjordânia ocupada, onde as forças israelenses atiraram e mataram 11 pessoas.

A espiral de violência aumentou o temor de uma nova ‘intifada’ palestina, ou levante em um momento em que não há negociações de paz há anos. A primeira ‘intifada’ palestina foi um movimento espontâneo de resistência da década de oitenta, que se deu início após um caminhão militar israelense atropelar quatro jovens palestinos. Com isso, civis se muniram de paus e pedras para revidar contra a força israelense.

Os palestinos foram marcados para comemorar a Nakba – que significa catástrofe em árabe – neste sábado, quando eles relembram o êxodo palestino na década de quarenta. Mais de setecentos mil palestinos foram expulsos de suas casas para dar início a formação do território de Israel. Nesse contexto, com a possibilidade de uma nova ‘intifada’ e a comemoração dessa data histórica, a possibilidade de ainda mais inquietação e violência nesse fim de semana nao está descartada.

Palestinos e libaneses protestam juntos. | Fotografia por: AFP

Cento e quarenta pessoas já morreram na Faixa de Gaza, incluindo quarenta crianças. Em Israel, sete pessoas foram confirmadas como falecidas até o momento, entre elas uma criança de cinco anos de idade.

Os ataques aéreos israelenses não pararam nessa manhã. Israel bombardeou o território palestino e atingiu uma casa de três andares em um campo de refugiados, matando oito crianças e duas mulheres. O vizinho da residência, Jamal Al-Naji, disse em entrevista que não houve nenhum sinal de que aquilo aconteceria e foi repentino. “Porque você nos confronta, vá atrás dos mais fortes!”, disse.