Administração Biden aprova a venda de 735 milhões em armas para Israel


De acordo com uma nova reportagem publicada pelo Washington Post, o governo democrata de Joe Biden aprovou a venda de 735 milhões de dólares em armas guiadas de precisão para Israel. A venda levantou bandeira vermelha para alguns democratas do Congresso que participam de um debate atual sobre a posição dos Estados Unidos na guerra […]


De acordo com uma nova reportagem publicada pelo Washington Post, o governo democrata de Joe Biden aprovou a venda de 735 milhões de dólares em armas guiadas de precisão para Israel. A venda levantou bandeira vermelha para alguns democratas do Congresso que participam de um debate atual sobre a posição dos Estados Unidos na guerra entre Israel e a Palestina. Alguns congressistas também estão questionando o apoio do governo Biden ao primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu.

O Congresso só foi notificado da venda no dia 5 de maio, coincidentemente uma semana antes do começo da nova onda de violência em Gaza, a pior já vista em anos. O número de palestinos mortos em Gaza subiu para 212, incluindo 61 crianças e 36 mulheres, de acordo com funcionários do ministério da saúde local. Na Cisjordânia, pelo menos 15 palestinos foram mortos desde sexta-feira, disseram autoridades locais. Também já foram contabilizadas 10 vítimas israelenses.

De acordo com a reportagem, a maior parte da venda é composta de Joint Direct Attack Munition, um kit de orientação que converte bombas não-guiadas em munições inteligentes. Três anos atrás, o ex-presidente Donald Trump vetou três resoluções que haviam sido aprovadas pelo Congresso para impedir a venda de armas que beneficiariam a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos.

A administração é obrigada a informar o Congresso sobre essas vendas, embora a notificação formal geralmente chegue apenas após a casa ter concordado informalmente. Uma vez feita a notificação formal, os legisladores têm até quinze dias para contestar com uma resolução não vinculativa de desaprovação.

Um porta-voz do Comitê de Relações Exteriores da Câmara confirmou que o Congresso foi notificado em 5 de maio sobre o acordo comercial por meio do qual a Boeing fornecerá as armas para Israel. De acordo com uma fonte para o jornal, até legisladores do próprio comitê foram pegos de surpresa no fim de semana quando souberam da venda.

“Há verdade na noção de que há grandes mudanças no partido sobre como carimbamos Israel em grande escala”, disse um assessor democrata do Senado ao jornal. Nos últimos dias, diversos políticos democratas estão se pronunciando publicamente sobre os atos de Israel. A legislação norte-americana permite que o Congresso se oponha às vendas de armas, mas é improvável que o faça nesse caso. Como Israel está entre um punhado de países cujas negociações militares são aprovadas em um processo acelerado, a janela para objeções fechar-se-á antes que os legisladores possam aprovar uma resolução de desaprovação, mesmo se estivessem inclinados a fazê-lo. O forte apoio a Israel é um valor fundamental tanto para os membros democratas quanto para os republicanos, apesar dos apelos de alguns dos democratas mais progressistas para tomar uma posição mais dura contra o governo do primeiro-ministro israelense.

Palestinos inspecionam casas danificadas atingidas por ataques aéreos israelenses na Cidade de Gaza | Fotografia por: Khalil Hamra; The Associated Press.

Entretanto, até mesmo os defensores de Israel condenaram suas ações militares no fim de semana. “Estou profundamente preocupado com relatos de ações militares israelenses que resultaram na morte de civis inocentes em Gaza, bem como em edifícios que abrigam veículos de comunicação internacionais”, escreveu o Senador Robert Menendez, presidente do Comitê de Relações Exteriores do Senado.

Hoje, segunda-feira, o secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, afirmou em entrevista coletiva que não viu nenhuma evidência de operação do Hamas no prédio de Gaza atingido por Israel no sábado – o qual abrigava residências, escritórios e organizações de imprensa nacional e internacional. Diversas organizações de proteção à imprensa e aos direitos humanos repudiaram o ataque e algumas relembraram que atacar ou colocar a imprensa em risco pode ser considerado como um crime de guerra.

O diretor-executivo do Comitê para a Proteção dos Jornalistas, Joel Simon, disse que esse ataque “levanta o espectro de que as Forças de Defesa de Israel estão deliberadamente visando instalações da mídia a fim de interromper a cobertura do sofrimento humano em Gaza”. A organização disse ser “totalmente inaceitável que Israel bombardeie e destrua os escritórios dos meios de comunicação e ponha em perigo a vida de jornalistas. As autoridades israelenses sabem onde os meios de comunicação estão localizados.”


, ,

Eleições

  • Alanzoka, Casimiro e outros streamers da Twitch declaram voto

    Alanzoka, Casimiro e outros streamers da Twitch declaram voto

    , ,

    Streamers com grande audiência revelam em qual candidato votam no segundo turno das eleições 2022.

  • Três youtubers bolsonaristas que chegam ao Congresso

    Três youtubers bolsonaristas que chegam ao Congresso

    ,

    Três youtubers foram eleitos este ano, e todos estão associados a fenômenos de violência. Gustavo Gayer e Nikolas Ferreira são propagadores de um discurso político violento, enquanto o Delegado da Cunha é conhecido por publicar vídeos de operações policiais degradantes à comunidades paulistanas.

  • Bolsonarista prejudica eleição ao votar duas vezes em Lisboa; entenda o caso

    Bolsonarista prejudica eleição ao votar duas vezes em Lisboa; entenda o caso

    Para especialista em Direito Eleitoral, o Cônsul-geral do Brasil em Lisboa poderia se envolver na convocação dos eleitores se comprovados que os votos anulados poderiam afetar o resultado da eleição de 1º turno.


  • Bolsonaro retém R$2,4 bilhões do MEC

    Bolsonaro retém R$2,4 bilhões do MEC

    Planalto divulga decreto anunciando A retenção de 2,4 bilhões de institutos e universidades federais. A medida vale para despesas não obrigatórias, como recursos de assistência estudantil, salários de funcionários terceirizados e muitos outros.

  • Dezesseis anos de WikiLeaks

    Dezesseis anos de WikiLeaks

    , , , ,

    No mês de aniversário de 16 anos do WikiLeaks, é imprescindível lembrar que a organização se tornou uma questão controversa e divisória entre as organizações de direitos civis; maioria concorda com o valor inegável que o WikiLeaks teve ao denunciar violações de direitos humanos e liberdades civis.

  • Alanzoka, Casimiro e outros streamers da Twitch declaram voto

    Alanzoka, Casimiro e outros streamers da Twitch declaram voto

    , ,

    Streamers com grande audiência revelam em qual candidato votam no segundo turno das eleições 2022.

  • Três youtubers bolsonaristas que chegam ao Congresso

    Três youtubers bolsonaristas que chegam ao Congresso

    ,

    Três youtubers foram eleitos este ano, e todos estão associados a fenômenos de violência. Gustavo Gayer e Nikolas Ferreira são propagadores de um discurso político violento, enquanto o Delegado da Cunha é conhecido por publicar vídeos de operações policiais degradantes à comunidades paulistanas.

  • Bolsonarista prejudica eleição ao votar duas vezes em Lisboa; entenda o caso

    Bolsonarista prejudica eleição ao votar duas vezes em Lisboa; entenda o caso

    Para especialista em Direito Eleitoral, o Cônsul-geral do Brasil em Lisboa poderia se envolver na convocação dos eleitores se comprovados que os votos anulados poderiam afetar o resultado da eleição de 1º turno.

  • Após infiltração, grupos bolsonaristas no Telegram reforçam moderação

    Após infiltração, grupos bolsonaristas no Telegram reforçam moderação

    ,

    Dois dias após o primeiro turno das eleições, usuários de esquerda passaram a infiltrar grupos bolsonaristas no Telegram. O resultado foi o reforço da moderação por parte dos administradores, e a aposta em teorias conspiratórias.

  • Todo fascista é corno

    Todo fascista é corno

    ,

    Não é difícil entender que a vontade de escrever é nula, assim como a vontade de acordar, sair da cama e realizar que esse bando de corno não tem mais medo de cantar aos quatro ventos: “sou fascista na avenida e minha escola é a mais querida dos reaça nacional!”.

  • No Telegram, bolsonaristas espalham fake news sobre eleitores mortos votando no Nordeste

    No Telegram, bolsonaristas espalham fake news sobre eleitores mortos votando no Nordeste

    ,

    Grupos bolsonaristas no Telegram reforçam táticas xenofóbicas e criam fake news sobre eleitores mortos votando no Nordeste.


Tem uma pauta?
Estamos aqui

Toda ideia tem o potencial de ser uma boa ideia. Gostamos de ouvir ideias de pauta, denúncias ou sugestões de nossos leitores. Se quiser compartilhar, conte conosco — e olha, pode ser anônimo, tá?

Seja notificado de novas publicações, assine.

Ao se inscrever, o WordPress te atualiza gratuitamente toda vez que publicamos algo novo. Assim, você pode acompanhar nossa redação! Não se esqueça de nos seguir nas redes sociais.

A revista o sabiá é um veículo de mídia independente e sem fins lucrativos criado e equipado por jovens. Buscamos usar o jornalismo e a comunicação como um mecanismo de mudança do futuro das novas gerações.