Para todos os cronistas


Já faziam uns dois meses que eu trabalhava naquele jornal. Era o trabalho da minha vida, ganhar dinheiro por escrever? Eu estava no céu. Despreocupado e feliz com a vida, resolvi dar uma volta pela orla. Gostava de assistir às ondas quebrando e às pessoas pela areia, jogando bola, conversando ou só tomando sol mesmo. […]


Já faziam uns dois meses que eu trabalhava naquele jornal. Era o trabalho da minha vida, ganhar dinheiro por escrever? Eu estava no céu. Despreocupado e feliz com a vida, resolvi dar uma volta pela orla. Gostava de assistir às ondas quebrando e às pessoas pela areia, jogando bola, conversando ou só tomando sol mesmo. Volta e meia, me batia com alguma história e passava a escutar; temos que conseguir materiais para as crônicas, não é mesmo?

Depois de uns cinco minutos de caminhada, sentei num banco qualquer com uma água de coco e uma pose de quem fosse o Fernando Sabino menos conhecido do mundo. Escutar, observar, escutar, observar… é meu trabalho. No final das contas, sou pego por uma conversa entre dois namorados, super melosos. Aquela coisa bem início de relacionamento, que parece que aquela pessoa substituiria tranquilamente o seu rim e você não ligaria em perder nada por ela (bom, talvez um pedaço do fígado quando acabasse). Aquele moleque até que parecia um bom partido, ou talvez só cachorro mesmo, só sei que ele era bom de papo. Em meio a todo aquele discurso ultrarromântico, me ficou uma citação à lá Roberto Carlos “Eu gosto dos detalhes… Acho que na verdade todo apaixonado quer os detalhes: O cheiro, a pintinha embaixo do olho o jeito que você dá risada…”. Depois disso, me perdi um pouco, antes que acabasse interferindo e pedindo o pivete em casamento.

Lá do meio pro fim da minha água de coco, passei a reparar no grupo de senhores que estavam sentados numa mesa jogando dominó. Todos gritavam e pulavam como se fosse um gol de copa do mundo. Dois que estavam de pé tomavam cerveja em copos americanos de procedência duvidosa (Na verdade a cerveja também, a gente estava numa barraca de água de coco, não em um boteco). Dos que estavam jogando, uma dupla tomava, também, sua cerveja clandestina e a outra tomava água de coco. Mas… Um dos coroas era diferente, ele era tipo o rei dos coroas ou, pelo menos, o mais descolado. Chapéu Panamá, camisa de botão meio aberta com a corrente aparecendo (Algo entre Jorge Amado e bicheiro da Mata Escura) e um copo de dose que ele escondia atrás da perna. Observei tanto aqueles amigos e o exemplo de malandro da terceira idade que me sentia quase que um intruso naquela situação, mas tudo ficou mais tranquilo quando o “Gato” do Capitães da Areia com 70 anos levantou o copinho de dose com alguma cachaça prima do álcool, também 70, pra mim e deu um sorriso. Quero ser igual a esse coroa no futuro…

Acontece que, com tudo isso, eu só posso concluir uma coisa: Acho que, assim como os apaixonados tratam os detalhes do que amam como o divino, os cronistas são grandes apaixonados pela vida (será?). Existia algo de prazeroso em observar cada detalhe do que acontecia a sua volta e 3 horas parecerem cinco minutos, algo de reconfortante em saber que o moleque no ponto de ônibus conseguiu passar na Federal e até uma adrenalina em saber que meu vizinho tinha deixado de mobiliar a casa por conta da “namorada” que só dava corno nele. Quer saber? Talvez nós, cronistas, até sejamos grandes apaixonados pela vida, mas isso é só romantização. No fundo, nós somos só grandes fofoqueiros com um vocabulário bom.


,

Eleições

  • Alanzoka, Casimiro e outros streamers da Twitch declaram voto

    Alanzoka, Casimiro e outros streamers da Twitch declaram voto

    , ,

    Streamers com grande audiência revelam em qual candidato votam no segundo turno das eleições 2022.

  • Três youtubers bolsonaristas que chegam ao Congresso

    Três youtubers bolsonaristas que chegam ao Congresso

    ,

    Três youtubers foram eleitos este ano, e todos estão associados a fenômenos de violência. Gustavo Gayer e Nikolas Ferreira são propagadores de um discurso político violento, enquanto o Delegado da Cunha é conhecido por publicar vídeos de operações policiais degradantes à comunidades paulistanas.

  • Bolsonarista prejudica eleição ao votar duas vezes em Lisboa; entenda o caso

    Bolsonarista prejudica eleição ao votar duas vezes em Lisboa; entenda o caso

    Para especialista em Direito Eleitoral, o Cônsul-geral do Brasil em Lisboa poderia se envolver na convocação dos eleitores se comprovados que os votos anulados poderiam afetar o resultado da eleição de 1º turno.


  • Bolsonaro retém R$2,4 bilhões do MEC

    Bolsonaro retém R$2,4 bilhões do MEC

    Planalto divulga decreto anunciando A retenção de 2,4 bilhões de institutos e universidades federais. A medida vale para despesas não obrigatórias, como recursos de assistência estudantil, salários de funcionários terceirizados e muitos outros.

  • Dezesseis anos de WikiLeaks

    Dezesseis anos de WikiLeaks

    , , , ,

    No mês de aniversário de 16 anos do WikiLeaks, é imprescindível lembrar que a organização se tornou uma questão controversa e divisória entre as organizações de direitos civis; maioria concorda com o valor inegável que o WikiLeaks teve ao denunciar violações de direitos humanos e liberdades civis.

  • Alanzoka, Casimiro e outros streamers da Twitch declaram voto

    Alanzoka, Casimiro e outros streamers da Twitch declaram voto

    , ,

    Streamers com grande audiência revelam em qual candidato votam no segundo turno das eleições 2022.

  • Três youtubers bolsonaristas que chegam ao Congresso

    Três youtubers bolsonaristas que chegam ao Congresso

    ,

    Três youtubers foram eleitos este ano, e todos estão associados a fenômenos de violência. Gustavo Gayer e Nikolas Ferreira são propagadores de um discurso político violento, enquanto o Delegado da Cunha é conhecido por publicar vídeos de operações policiais degradantes à comunidades paulistanas.

  • Bolsonarista prejudica eleição ao votar duas vezes em Lisboa; entenda o caso

    Bolsonarista prejudica eleição ao votar duas vezes em Lisboa; entenda o caso

    Para especialista em Direito Eleitoral, o Cônsul-geral do Brasil em Lisboa poderia se envolver na convocação dos eleitores se comprovados que os votos anulados poderiam afetar o resultado da eleição de 1º turno.

  • Após infiltração, grupos bolsonaristas no Telegram reforçam moderação

    Após infiltração, grupos bolsonaristas no Telegram reforçam moderação

    ,

    Dois dias após o primeiro turno das eleições, usuários de esquerda passaram a infiltrar grupos bolsonaristas no Telegram. O resultado foi o reforço da moderação por parte dos administradores, e a aposta em teorias conspiratórias.

  • Todo fascista é corno

    Todo fascista é corno

    ,

    Não é difícil entender que a vontade de escrever é nula, assim como a vontade de acordar, sair da cama e realizar que esse bando de corno não tem mais medo de cantar aos quatro ventos: “sou fascista na avenida e minha escola é a mais querida dos reaça nacional!”.

  • No Telegram, bolsonaristas espalham fake news sobre eleitores mortos votando no Nordeste

    No Telegram, bolsonaristas espalham fake news sobre eleitores mortos votando no Nordeste

    ,

    Grupos bolsonaristas no Telegram reforçam táticas xenofóbicas e criam fake news sobre eleitores mortos votando no Nordeste.


Tem uma pauta?
Estamos aqui

Toda ideia tem o potencial de ser uma boa ideia. Gostamos de ouvir ideias de pauta, denúncias ou sugestões de nossos leitores. Se quiser compartilhar, conte conosco — e olha, pode ser anônimo, tá?

Seja notificado de novas publicações, assine.

Ao se inscrever, o WordPress te atualiza gratuitamente toda vez que publicamos algo novo. Assim, você pode acompanhar nossa redação! Não se esqueça de nos seguir nas redes sociais.

A revista o sabiá é um veículo de mídia independente e sem fins lucrativos criado e equipado por jovens. Buscamos usar o jornalismo e a comunicação como um mecanismo de mudança do futuro das novas gerações.