Cuidadores de crianças do gênero masculino: vamos conversar sobre o machismo estrutural?


Quando uma mulher foi condicionada a ser mãe na infância, um homem não precisou se preocupar. Dito isso, percebemos a importância do contato de crianças do gênero masculino com brinquedos, até então, dirigidos somente ao feminino. O brinquedo, que transita entre o concreto e o simbólico, aparece como um meio de resistência diante das estruturas […]


Quando uma mulher foi condicionada a ser mãe na infância, um homem não precisou se preocupar. Dito isso, percebemos a importância do contato de crianças do gênero masculino com brinquedos, até então, dirigidos somente ao feminino. O brinquedo, que transita entre o concreto e o simbólico, aparece como um meio de resistência diante das estruturas patriarcais responsáveis por sustentar a carga mental feminina tão presente na vida de mães solos e, também, de mulheres que vivem com seus parceiros mas se encontram sobrecarregadas e adoecidas devido à ausência de uma divisão de tarefas justa. Embora possa soar bobo, o seu filho ter contato com a cozinha da casa, com panelinhas, vassoura e brincar de colocar o (a) bonequinho (a) para dormir pode ser um gatilho para algo positivo em suas relações futuras.

Boa parte dos homens cresce com o aval do patriarcado para errar e ser prontamente acolhido; que tal, de agora em diante, conversarmos com eles sobre responsabilidades e respeito? Vamos combinar: toda mulher que se relaciona com um homem cis precisa enfrentar diariamente entraves que o machismo estrutural ainda exerce na sociedade, especialmente nos lares que são cuidados por casais compostos por um homem e uma mulher – se houver uma criança, então, o caos está feito.

Uma vez ouvi algo que ficou na cabeça: “se uma casa tiver dez pessoas, nove delas homens e uma mulher, e alguém chegar nessa casa e ela estiver com coisas domésticas por fazer, culparão a mulher”. Para alguns pode parecer algo que já não existe, mas não se engane, boa parte das dinâmicas domésticas que conheço são norteadas por mulheres. Por que, então, somos índice maior de desemprego? Precisamos falar sobre formalização do trabalho doméstico também. O machismo estrutural é, ainda, alicerce de grande parte do nosso meio.

É em nossa casa que poderemos fazer a diferença ou não no futuro das próximas gerações. Converse com seu filho sobre divisão de trabalho doméstico, cooperação e diálogo para resolução de problemas; essa relação saudável pode começar por você, mãe, pai, cuidador. A luta contra o machismo e contra todas as opressões coloniais não é esporádica, é diária. Mas de uma coisa eu sei: juntos seremos mais fortes para fazer a diferença.


Tem uma pauta?
Estamos aqui

Toda ideia tem o potencial de ser uma boa ideia. Gostamos de ouvir ideias de pauta, denúncias ou sugestões de nossos leitores. Se quiser compartilhar, conte conosco — e olha, pode ser totalmente anônimo, tá?


  • Após infiltração, grupos bolsonaristas no Telegram reforçam moderação

    Após infiltração, grupos bolsonaristas no Telegram reforçam moderação

    ,

    Dois dias após o primeiro turno das eleições, usuários de esquerda passaram a infiltrar grupos bolsonaristas no Telegram. O resultado foi o reforço da moderação por parte dos administradores, e a aposta em teorias conspiratórias.

  • Todo fascista é corno

    Todo fascista é corno

    ,

    Não é difícil entender que a vontade de escrever é nula, assim como a vontade de acordar, sair da cama e realizar que esse bando de corno não tem mais medo de cantar aos quatro ventos: “sou fascista na avenida e minha escola é a mais querida dos reaça nacional!”.

  • No Telegram, bolsonaristas espalham fake news sobre eleitores mortos votando no Nordeste

    No Telegram, bolsonaristas espalham fake news sobre eleitores mortos votando no Nordeste

    ,

    Grupos bolsonaristas no Telegram reforçam táticas xenofóbicas e criam fake news sobre eleitores mortos votando no Nordeste.

  • Anunciando um novo modelo: notas

    Anunciando um novo modelo: notas

    Anunciamos as notas, reportagens curtas sobre temas relacionados às eleições de segundo turno.

  • A falta da política externa

    A falta da política externa

    , ,

    Às vésperas da eleição mais importante desde a redemocratização, e ainda sob efeito da ressaca moral que assola o país após o clássico debate presidencial da Rede Globo, a ausência da política externa como pauta de discussão demonstra o enorme apequenamento do Brasil.

  • Pesquisa aponta que norte-americanos desaprovam  apoio militar na Ucrânia

    Pesquisa aponta que norte-americanos desaprovam apoio militar na Ucrânia

    , , ,

    Muitos americanos pensam que Biden deveria se apressar e encontrar um acordo diplomático. Mas para os apoiadores da Ucrânia, seja à esquerda ou à direita, a resposta é que Biden se apresse e vença, dando à Ucrânia mais ajuda militar e aceitando mais riscos.

Seja notificado de novas publicações, assine.

Ao se inscrever, o WordPress te atualiza gratuitamente toda vez que publicamos algo novo. Assim, você pode acompanhar nossa redação! Não se esqueça de nós seguir nas redes sociais.

A revista o sabiá é um veículo de mídia independente e sem fins lucrativos criado e equipado por jovens. Buscamos usar o jornalismo e a comunicação como um mecanismo de mudança do futuro das novas gerações.