Bem-vindo a República de Curitiba


Em um conflito de interesses, onde a informação é essencial para a materialidade de uma real democracia, é preciso escolher um lado. Por isso, sou levado a dizer: In Delgatti We Trust.


“Bem-vindo a República de Curitiba — terra da Operação Lava Jato — a investigação que mudou o país. Aqui a lei se cumpre. 17 de março, cinco anos de Operação Lava Jato — O Brasil Agradece”. Esta é a mensagem, um tanto cômica, que estampava o outdoor que levou o Conselho Nacional do Ministério Público decidir nesta segunda-feira, 18, pela demissão do ex-procurador da Lava-Jato, Diogo Castor de Mattos, pelo crime de improbidade administrativa. A decisão foi feita após o procurador confessar que ele havia solicitado a compra e instalação da peça publicitária. O caso ganhou força após as mensagens acessadas pelo hacker Walter Delgatti Neto, com o seu depoimento à Polícia Federal em julho de 2019, se tornarem públicos.

Fotografia do outdoor pago pelo procurador Diogo Castor de Matos.

Castor de Matos, que aparece de forma tão discreta ao lado de outros oito procuradores da força-tarefa no outdoor que o auto elogia, pagou algo em torno de quatro mil reais para instalação da peça. O procurador, coloca, porém, em posição de destaque, o líder da operação em Curitiba, Deltan Dallagnol, de quem Castor chegou a ser estagiário. Dallagnol aparece no centro do outdoor, lugar que ocupa bem, logo acima da frase “A operação que mudou o Brasil”, e nisso o outdoor está certo. 

A Lava Jato foi o centro da atenção dos brasileiros durante cinco anos, e realmente mudou o Brasil. A operação foi responsável, segundo estudo do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, pela destruição direta de mais de quatro milhões de empregos e pela perda de mais de cento e setenta milhões em investimento no país- principalmente por auxiliar na geração da crise política, que teve seu ápice em 2018, com a eleição de Jair Messias Bolsonaro. Hoje vemos um país realmente diferente, e a Lava-Jato é responsável direta por isso.

As mensagens obtidas por Walter Delgatti Neto, que se tornaram públicas através da série de reportagens do The Intercept Brasil, tornam-se cada vez mais relevantes diante de cada novo fato. Hoje é indubitável o fato de que a operação se tratava de um esquema que buscava apenas interesses privados e políticos. 

A recente revelação de que o procurador Deltan Dallagnol manipulou a delação de Pedro Barusco, ex-diretor da Petrobrás, para incluir o Partido dos Trabalhadores e “derrubar a república”, como revelam mensagens da Operação Spoofing, é outro exemplo do partidarismo da operação, e de como só conseguimos estas informações através do trabalho de hackers.

Hoje, estas mensagens que revelam a relação promíscua e criminosa estabelecida entre esta força-tarefa são públicas, graças ao hackativismo. Não existe segredo algum que não deva ser revelado em prol de um conhecimento da própria sociedade. Em um conflito de interesses, onde a informação é essencial para a materialidade de uma real democracia, é preciso escolher um lado. Por isso, sou levado a dizer: In Delgatti We Trust.



Eleições

  • Alanzoka, Casimiro e outros streamers da Twitch declaram voto

    Alanzoka, Casimiro e outros streamers da Twitch declaram voto

    , ,

    Streamers com grande audiência revelam em qual candidato votam no segundo turno das eleições 2022.

  • Três youtubers bolsonaristas que chegam ao Congresso

    Três youtubers bolsonaristas que chegam ao Congresso

    ,

    Três youtubers foram eleitos este ano, e todos estão associados a fenômenos de violência. Gustavo Gayer e Nikolas Ferreira são propagadores de um discurso político violento, enquanto o Delegado da Cunha é conhecido por publicar vídeos de operações policiais degradantes à comunidades paulistanas.

  • Bolsonarista prejudica eleição ao votar duas vezes em Lisboa; entenda o caso

    Bolsonarista prejudica eleição ao votar duas vezes em Lisboa; entenda o caso

    Para especialista em Direito Eleitoral, o Cônsul-geral do Brasil em Lisboa poderia se envolver na convocação dos eleitores se comprovados que os votos anulados poderiam afetar o resultado da eleição de 1º turno.


  • Bolsonaro retém R$2,4 bilhões do MEC

    Bolsonaro retém R$2,4 bilhões do MEC

    Planalto divulga decreto anunciando A retenção de 2,4 bilhões de institutos e universidades federais. A medida vale para despesas não obrigatórias, como recursos de assistência estudantil, salários de funcionários terceirizados e muitos outros.

  • Dezesseis anos de WikiLeaks

    Dezesseis anos de WikiLeaks

    , , , ,

    No mês de aniversário de 16 anos do WikiLeaks, é imprescindível lembrar que a organização se tornou uma questão controversa e divisória entre as organizações de direitos civis; maioria concorda com o valor inegável que o WikiLeaks teve ao denunciar violações de direitos humanos e liberdades civis.

  • Alanzoka, Casimiro e outros streamers da Twitch declaram voto

    Alanzoka, Casimiro e outros streamers da Twitch declaram voto

    , ,

    Streamers com grande audiência revelam em qual candidato votam no segundo turno das eleições 2022.

  • Três youtubers bolsonaristas que chegam ao Congresso

    Três youtubers bolsonaristas que chegam ao Congresso

    ,

    Três youtubers foram eleitos este ano, e todos estão associados a fenômenos de violência. Gustavo Gayer e Nikolas Ferreira são propagadores de um discurso político violento, enquanto o Delegado da Cunha é conhecido por publicar vídeos de operações policiais degradantes à comunidades paulistanas.

  • Bolsonarista prejudica eleição ao votar duas vezes em Lisboa; entenda o caso

    Bolsonarista prejudica eleição ao votar duas vezes em Lisboa; entenda o caso

    Para especialista em Direito Eleitoral, o Cônsul-geral do Brasil em Lisboa poderia se envolver na convocação dos eleitores se comprovados que os votos anulados poderiam afetar o resultado da eleição de 1º turno.

  • Após infiltração, grupos bolsonaristas no Telegram reforçam moderação

    Após infiltração, grupos bolsonaristas no Telegram reforçam moderação

    ,

    Dois dias após o primeiro turno das eleições, usuários de esquerda passaram a infiltrar grupos bolsonaristas no Telegram. O resultado foi o reforço da moderação por parte dos administradores, e a aposta em teorias conspiratórias.

  • Todo fascista é corno

    Todo fascista é corno

    ,

    Não é difícil entender que a vontade de escrever é nula, assim como a vontade de acordar, sair da cama e realizar que esse bando de corno não tem mais medo de cantar aos quatro ventos: “sou fascista na avenida e minha escola é a mais querida dos reaça nacional!”.

  • No Telegram, bolsonaristas espalham fake news sobre eleitores mortos votando no Nordeste

    No Telegram, bolsonaristas espalham fake news sobre eleitores mortos votando no Nordeste

    ,

    Grupos bolsonaristas no Telegram reforçam táticas xenofóbicas e criam fake news sobre eleitores mortos votando no Nordeste.


Tem uma pauta?
Estamos aqui

Toda ideia tem o potencial de ser uma boa ideia. Gostamos de ouvir ideias de pauta, denúncias ou sugestões de nossos leitores. Se quiser compartilhar, conte conosco — e olha, pode ser anônimo, tá?

Seja notificado de novas publicações, assine.

Ao se inscrever, o WordPress te atualiza gratuitamente toda vez que publicamos algo novo. Assim, você pode acompanhar nossa redação! Não se esqueça de nos seguir nas redes sociais.

A revista o sabiá é um veículo de mídia independente e sem fins lucrativos criado e equipado por jovens. Buscamos usar o jornalismo e a comunicação como um mecanismo de mudança do futuro das novas gerações.