Jornalistas paulistanos em greve


A principal demanda dos grevistas é o aumento salarial da categoria.


Hoje, 10 de novembro, cerca de 300 jornalistas da capital paulista paralisaram por 2h — das 16h às 18h — por conta da estagnação dos salários da categoria. A principal demanda dos profissionais é o reajuste dos pagamentos por conta da inflação de 8,9%, responsável pela diminuição do poder compra dos brasileiros.

Segundo o G1, apesar do aumento de preços atingir os países de modo geral, a inflação brasileira provavelmente terminará o ano superior à de 83% dos demais países. Conforme o site Portal dos Jornalistas, as negociações entre trabalhadores, sindicatos e patrões para reajuste salarial se estendem por mais de cinco meses. E a inflação aumenta mais a cada mês.  

A jornalista Angela Pinho, repórter da Folha de S. Paulo, publicou no Twitter: “Jornalistas de jornais e revistas paralisam para exigir recomposição salarial de 8,9%. As perdas inflacionárias devem ser repostas para toda a categoria”, finalizando com a hashtag #jornalistasvãoparar, utilizada pelos profissionais para conquistar visibilidade nas redes digitais.

O político Marcelo Freixo (1,7 milhão de seguidores no Twitter), e os colunistas da Folha de S. Paulo Gregório Duvivier (1,5 milhão) e Thiago Amparo (138, 2 mil) se manifestaram a favor da greve no Twitter, contribuindo com uma maior visibilidade da paralisação, por enquanto pouco coberta pelos grandes veículos de imprensa.

Na notícia de ontem do Portal dos Jornalistas (09/11/2021), o entrevistado Thiago Tanji — presidente do SJSP — declara: “Esta primeira paralisação, mesmo que por um período de apenas duas horas, tem uma importância muito grande, pois é algo que há tempos não acontecia em São Paulo. Ela é a prova de que a categoria precisa se unir para conquistar o que é seu de direito”.


Tem uma pauta?
Estamos aqui

Toda ideia tem o potencial de ser uma boa ideia. Gostamos de ouvir ideias de pauta, denúncias ou sugestões de nossos leitores. Se quiser compartilhar, conte conosco — e olha, pode ser totalmente anônimo, tá?


  • Após infiltração, grupos bolsonaristas no Telegram reforçam moderação

    Após infiltração, grupos bolsonaristas no Telegram reforçam moderação

    ,

    Dois dias após o primeiro turno das eleições, usuários de esquerda passaram a infiltrar grupos bolsonaristas no Telegram. O resultado foi o reforço da moderação por parte dos administradores, e a aposta em teorias conspiratórias.

  • Todo fascista é corno

    Todo fascista é corno

    ,

    Não é difícil entender que a vontade de escrever é nula, assim como a vontade de acordar, sair da cama e realizar que esse bando de corno não tem mais medo de cantar aos quatro ventos: “sou fascista na avenida e minha escola é a mais querida dos reaça nacional!”.

  • No Telegram, bolsonaristas espalham fake news sobre eleitores mortos votando no Nordeste

    No Telegram, bolsonaristas espalham fake news sobre eleitores mortos votando no Nordeste

    ,

    Grupos bolsonaristas no Telegram reforçam táticas xenofóbicas e criam fake news sobre eleitores mortos votando no Nordeste.

  • Anunciando um novo modelo: notas

    Anunciando um novo modelo: notas

    Anunciamos as notas, reportagens curtas sobre temas relacionados às eleições de segundo turno.

  • A falta da política externa

    A falta da política externa

    , ,

    Às vésperas da eleição mais importante desde a redemocratização, e ainda sob efeito da ressaca moral que assola o país após o clássico debate presidencial da Rede Globo, a ausência da política externa como pauta de discussão demonstra o enorme apequenamento do Brasil.

  • Pesquisa aponta que norte-americanos desaprovam  apoio militar na Ucrânia

    Pesquisa aponta que norte-americanos desaprovam apoio militar na Ucrânia

    , , ,

    Muitos americanos pensam que Biden deveria se apressar e encontrar um acordo diplomático. Mas para os apoiadores da Ucrânia, seja à esquerda ou à direita, a resposta é que Biden se apresse e vença, dando à Ucrânia mais ajuda militar e aceitando mais riscos.

Seja notificado de novas publicações, assine.

Ao se inscrever, o WordPress te atualiza gratuitamente toda vez que publicamos algo novo. Assim, você pode acompanhar nossa redação! Não se esqueça de nós seguir nas redes sociais.

A revista o sabiá é um veículo de mídia independente e sem fins lucrativos criado e equipado por jovens. Buscamos usar o jornalismo e a comunicação como um mecanismo de mudança do futuro das novas gerações.