Por Thiago Skárnio

A notícia da compra do Twitter por Elon Musk agitou a tarde desta segunda-feira (25/4). O homem mais rico do mundo pagou U$S 44 bilhões (cerca de R$ 214 bilhões) pela rede do passarinho azul. Musk – que já é dono da empresa de exploração espacial SpaceX e da fabricante de carros elétricos Tesla –  havia comprado 9,2% da mídia social em março e desde então tem “ameaçado” adquirir toda a plataforma por conta das suas ações de moderação e banimentos. Tais críticas são o principal motivo da apreensão dos atuais usuários do Twitter, que colocaram a hashtag #RIPTwitter nos assuntos mais comentados. O temor é que com a nova direção a propagação de fake news aumente.

Apesar de importante, um possível aumento das fake news no Twitter é apenas uma parte de um problema que passa a ganhar um outro vulto a partir de hoje. A Internet, que já está centralizada em poucas plataformas e corporações, fica sob o poder de menos mãos ainda. 

Outra assunto levantado pelos usuários do Twitter é a migração para outras mídias sociais, como o Mastodon, uma ótima opção por ser uma plataforma de código aberto e federada. É sempre bom lembrar que o Mastodon faz parte de um conceito maior, que é o Fediverso, um conjunto de servidores federados utilizados para hospedagem de arquivos e publicação na web. Um conjunto de plataformas de mídias sociais que, mesmo instaladas em servidores independentes, permitem a comunicação direta entre os usuários por meio de protocolos de comunicação comuns. Os usuários não só se comunicam entre essas redes, como também podem criar suas próprias plataformas.

A Associação Cultural Alquimídia realizou recentemente um ciclo de oficinas sobre as principais plataformas do Fediverso. É deste material que extraímos as seguintes sugestões de plataformas e “instâncias” (como são chamadas as instalações nos servidores) para os usuários falantes da língua portuguesa.

Friendica

A Friendica (antes conhecida por Friendika) é uma plataforma com opções avançadas de privacidade e comunicação com tantas outras redes sociais quanto forem possíveis. Instâncias recomendadas: Libranet, Poliverso e Friendi.

Mastodon

Software voltado para comunidades independentes baseadas em interesses comuns. Instâncias recomendadas: Ursalzone, Social.coletivos, Mastodon.social.

Pixelfed

Pixelfed é uma plataforma federada de compartilhamento de imagens apresentadas como uma alternativa de código aberto para fotógrafos e designers. Instância recomendada: link.

PeerTube

PeerTube é uma plataforma de vídeo que usa tecnologia peer-to-peer (de usuário para usuário). É uma ótima opção para assistir e distribuir vídeos na Internet. Instância recomendada: link. Outras opções podem ser encontradas aqui e aqui. Outras plataformas e instâncias podem ser encontradas nos seguintes endereços eletrônicos: aqui e aqui.

Seja qual for a plataforma que você criar a sua conta, siga o perfil da Alquimídia no Fediverso: @rede@alquimidia.org. Neste link você encontra as gravações de nossas oficinas e em breve lançaremos tutoriais de uso das principais plataformas. 


Material publicado originalmente na Alquimídia.

Sabiá

revista o sabiá é uma revista independente, digital e sem fins lucrativos. Surgimos com o propósito de democratizar o acesso à informação de qualidade para a juventude brasileira, seja ela a informação acadêmica, jornalística, científica ou cultural.

Acreditamos que tanto o jornalismo como a comunicação possuem o potencial de mudar o mundo, sendo necessário reaver a sua função social. Ao longo da história moderna, o senso comum costuma lembrar do lado negativo que a imprensa ao contribuir ou participar de narrativas políticas polêmicas. Nós, pelo contrário, gostamos de pensar que a imprensa teve um papel essencial em eventos como o Maio de 1968, a Primavera Árabe e muitos outros.