O maior do Brasil


Osgemeos é passado! Eduardo Kobra já era! Speto, eu vou te pegar! Zezão paga comédia!


Osgemeos é passado! Eduardo Kobra já era! Speto, eu vou te pegar! Zezão paga comédia! Está no ar: Jornal Jornal, o jornal que é muito mais jornal do que o jornal que você compra na banca de jornal… Ops, me empolguei. Peço perdão à Polícia Civil de Minas Gerais pelo vacilo. Contudo, a questão aqui é simples: o maior pixador (grafiteiro) deste país é Carlos Adão, homem nada modesto que já deixou sua marca mais de 200 mil vezes em muros, pedras, calçadas e quaisquer outras superfícies disponíveis Brasil afora.

Economista, Carlos Adão transformou-se em lenda urbana transmídia ou, como dizem os arrombados da Faria Lima, omnichannel — estampa de quadros a cuecas e calcinhas, passando, literalmente, por tudo o que der bobeira) e, muitas vezes, teve sua existência questionada. Será Carlos Adão um homem, uma mulher, um jovem, um adulto, um idoso, um coletivo? Mas, como você pode ver no segundo link presente neste texto (ali em cima, quando cito o nome do personagem pela primeira vez), Carlos Adão é um senhor que já passou dos 60 e o único a escrever o próprio nome — e seus eventuais e inteligentíssimos desdobramentos — com tinta verde em fundo preto. 

Para não incorrer no risco de soar muito palestrinha, poderia encerrar a crônica de hoje por aqui e deixar que o leitor e a leitora assistam o documentário em paz, mas, foda-se. Vou ser um pouco palestrinha mesmo e listar três pontos importantíssimos acerca da obra de Carlos Adão: 1) independente da superfície onde apareça, percebemos que a marca está sempre na altura dos olhos de quem vê, sem censura ou restrições; 2) “numa cronologia lógica e, ao mesmo tempo, poética, a aplicação do preto se dá na trajetória da ida”, como os ventos que vão e não voltam; 3) assim como no humor, a poética de Carlos Adão não tem restrições morais e a aplicação do verde é a materialização da palavra/poesia”. 

Pronto. Agora chega. Vá assistir ao documentário.


, ,

Eleições

  • Após infiltração, grupos bolsonaristas no Telegram reforçam moderação

    Após infiltração, grupos bolsonaristas no Telegram reforçam moderação

    ,

    Dois dias após o primeiro turno das eleições, usuários de esquerda passaram a infiltrar grupos bolsonaristas no Telegram. O resultado foi o reforço da moderação por parte dos administradores, e a aposta em teorias conspiratórias.

  • No Telegram, bolsonaristas espalham fake news sobre eleitores mortos votando no Nordeste

    No Telegram, bolsonaristas espalham fake news sobre eleitores mortos votando no Nordeste

    ,

    Grupos bolsonaristas no Telegram reforçam táticas xenofóbicas e criam fake news sobre eleitores mortos votando no Nordeste.

  • Como que vota o estudante da UFBA?

    Como que vota o estudante da UFBA?

    ,

    Lula é candidato quase unânime, e economia não é o tema mais importante para eles.


Tem uma pauta?
Estamos aqui

Toda ideia tem o potencial de ser uma boa ideia. Gostamos de ouvir ideias de pauta, denúncias ou sugestões de nossos leitores. Se quiser compartilhar, conte conosco — e olha, pode ser totalmente anônimo, tá?


  • Após infiltração, grupos bolsonaristas no Telegram reforçam moderação

    Após infiltração, grupos bolsonaristas no Telegram reforçam moderação

    ,

    Dois dias após o primeiro turno das eleições, usuários de esquerda passaram a infiltrar grupos bolsonaristas no Telegram. O resultado foi o reforço da moderação por parte dos administradores, e a aposta em teorias conspiratórias.

  • Todo fascista é corno

    Todo fascista é corno

    ,

    Não é difícil entender que a vontade de escrever é nula, assim como a vontade de acordar, sair da cama e realizar que esse bando de corno não tem mais medo de cantar aos quatro ventos: “sou fascista na avenida e minha escola é a mais querida dos reaça nacional!”.

  • No Telegram, bolsonaristas espalham fake news sobre eleitores mortos votando no Nordeste

    No Telegram, bolsonaristas espalham fake news sobre eleitores mortos votando no Nordeste

    ,

    Grupos bolsonaristas no Telegram reforçam táticas xenofóbicas e criam fake news sobre eleitores mortos votando no Nordeste.

  • Anunciando um novo modelo: notas

    Anunciando um novo modelo: notas

    Anunciamos as notas, reportagens curtas sobre temas relacionados às eleições de segundo turno.

  • A falta da política externa

    A falta da política externa

    , ,

    Às vésperas da eleição mais importante desde a redemocratização, e ainda sob efeito da ressaca moral que assola o país após o clássico debate presidencial da Rede Globo, a ausência da política externa como pauta de discussão demonstra o enorme apequenamento do Brasil.

  • Pesquisa aponta que norte-americanos desaprovam  apoio militar na Ucrânia

    Pesquisa aponta que norte-americanos desaprovam apoio militar na Ucrânia

    , , ,

    Muitos americanos pensam que Biden deveria se apressar e encontrar um acordo diplomático. Mas para os apoiadores da Ucrânia, seja à esquerda ou à direita, a resposta é que Biden se apresse e vença, dando à Ucrânia mais ajuda militar e aceitando mais riscos.

  • Deus esteve em São Paulo

    Deus esteve em São Paulo

    ,

    Deus nasceu no Rio de Janeiro, cresceu em Minas Gerais e, na noite do último domingo, 26, esteve em São Paulo, das 20h às 22h20. Eu estava lá. Eu vi Deus!

  • Canal bolsonarista  espalha conspiração sobre Edward Snowden

    Canal bolsonarista espalha conspiração sobre Edward Snowden

    , ,

    Em mais uma onda de fake news, canal bolsonarista no Telegram espalha que Edward Snowden revelou plano de “manipulação geofísica” contra eles a partir do projeto HAARP.

Seja notificado de novas publicações, assine.

Ao se inscrever, o WordPress te atualiza gratuitamente toda vez que publicamos algo novo. Assim, você pode acompanhar nossa redação! Não se esqueça de nós seguir nas redes sociais.

A revista o sabiá é um veículo de mídia independente e sem fins lucrativos criado e equipado por jovens. Buscamos usar o jornalismo e a comunicação como um mecanismo de mudança do futuro das novas gerações.