O BrazilCore tomou conta do TikTok. A estética consiste no uso de roupas com as cores da bandeira brasileira ou até mesmo da própria camisa da seleção para a montagem de looks. No entanto, a popularidade da estética é curiosa, considerando que a imagem do país não vai bem, seja no próprio Brasil ou fora.

Os vídeos costumam seguir duas variações. A primeira é a de ser um conjunto de fotos com pessoas que seguem a estética, seja pelo uso da camisa da seleção ou de roupas relacionadas – tanto pelas cores (verde, amarelo, azul e branco) quanto pelas estampas. A segunda é o próprio influencer mostrando sua coleção de roupas BrazilCore. Em ambos os casos, existem músicas meio patriotas, como “País do futebol” do MC Guimê.

Em um ano em que ocorrerão as eleições nacionais, perto de uma Copa do Mundo, o sentimento nacionalista toma conta dos corações dos brasileiros. A copa é um evento que a anos reúne todos os brasileiros em prol de um único objetivo: apoiar a seleção em busca de mais um título. E esse ano é mais especial do que nunca, já que o país luta pelo título de hexacampeão. Em paralelo a esse momento de confraternização temos as eleições, que no momento é o assunto que mais divide o povo brasileiro e que tem como uma das principais pautas o nacionalismo. É nesse contexto que surge essa nova tendência na rede, resgatando a estética brasileira para o mundo.

Além de ser uma publicidade bacana para o país, o movimento tenta ressignificar o uso da camisa da seleção brasileira após ela ter se tornado um símbolo de apoio ao presidente Jair Bolsonaro – sendo impossível ver ou usar a peça de roupa sem fazer a associação instantânea.

O nome BrazilCore diz muito sobre a origem desse movimento, uma vez que ele surgiu quando celebridades de outros países aderiram ao estilo. Dentre essas celebridades destaca-se a modelo americana Alex Consani, responsável por uma das fotos que mais repercutiu dentro dessa moda.

Alex, de 19 anos, é conhecida por conta de seus vídeos bem humorados no TikTok. No dia 29 de maio ela postou uma foto em seu Instagram onde vestia uma camisa verde e amarela escrita “Brazil”. Após isso a foto viralizou e a moda ganhou forças nas redes sociais, assim surgindo o Brazilcore. Foi apenas uma questão de tempo até que outros famosos aderissem à moda, como as influenciadoras e modelos Hailey Bieber, Malu Borges e até mesmo a cantora Anitta.

O uso de camisas de time sempre foi algo presente na cultura nacional, principalmente nas regiões de periferia. Porém, a prática só ganhou o devido reconhecimento quando, seja influencers estrangeiras ou que seguissem o padrão de beleza, utilizaram. A partir disso, alguns se questionam sobre se o Brazilcore é realmente uma tentativa de enaltecer a beleza brasileira ou se é apenas uma elitização de uma cultura já existente.

O Brasil nas passarelas

Não é apenas no TikTok que estão tentando ressignificar as cores da bandeira brasileira. Na última edição da São Paulo Fashion Week, evento de moda renomado entre círculos de elite, a Misci apresentou o boné “Mátria Brasil”. Fundada em 2018 pelo mato-grossense Airon Martin, a Misci tem um forte posicionamento em prol do reconhecimento dos símbolos nacionais. Sua última coleção é chamada “EVA: Mátria Brasil” e, além de utilizar o Brasil como tema, também ressalta a importância das mães brasileiras.

O boné apresenta as cores da bandeira e uma estampa da mesma em sua parte frontal. Além dessa peça, o desfile também apresentou um brinco, que também pode ser utilizado como broche, com o formato do Brasil.

O país da estética

Não é a primeira vez que o Brasil é alvo da estetização nas redes. Antes mesmo do surgimento da trend, era possível ver vídeos sobre a estética brasileira no TikTok.

As publicações geralmente abordavam as belezas brasileiras, principalmente das áreas periféricas, como a estetização das favelas e comunidades. Também são concentradas na região Sudeste do país, provavelmente por ser a mais conhecida por estrangeiros além da região amazônica. Com o tempo, surgiram mais vídeos sobre outras partes do país, como Norte e Nordeste. A estetização do Brasil também vem pelos memes, e com uma tradição entre os amantes da animação japonesa, o anime.

Desde 2014, quando a Copa foi sediada em solo brasileiro, a internet é enxurrada por imagens e memes de fotos de anime editadas com as cores da bandeira nacional.

Sabiá

revista o sabiá é uma revista independente, digital e sem fins lucrativos. Surgimos com o propósito de democratizar o acesso à informação de qualidade para a juventude brasileira, seja ela a informação acadêmica, jornalística, científica ou cultural.

Acreditamos que tanto o jornalismo como a comunicação possuem o potencial de mudar o mundo, sendo necessário reaver a sua função social. Ao longo da história moderna, o senso comum costuma lembrar do lado negativo que a imprensa ao contribuir ou participar de narrativas políticas polêmicas. Nós, pelo contrário, gostamos de pensar que a imprensa teve um papel essencial em eventos como o Maio de 1968, a Primavera Árabe e muitos outros.