Não desistir, não retroceder e sempre evoluir: três pontos necessários para qualquer organização de imprensa independente no atual cenário brasileiro. Nossa equipe esteve de férias entre os dias 21 de dezembro e 11 de janeiro, mas observou com cautela e preocupação a escalada do extremismo no Brasil, que está, inclusive, cooptando cada vez mais jovens.

Mas o problema do extremismo não é de hoje, assim como muitos outros no Brasil. Pouco antes do começo de nosso recesso, havíamos noticiado em parceria com a Ponte Jornalismo sobre um relatório de pesquisadoras denunciando métodos de cooptação de jovens brasileiros para a extrema direita.

No final, estamos cansados de entrar no ciclo da imprensa de falar sobre mesmos assuntos sem uma estratégia a longo prazo. Não queremos apenas noticiar eventos importantes, mas ter um impacto positivo a longo prazo na juventude brasileira, que sofrerá por décadas os saldos da extrema direita nos últimos quatro anos.

Por esse motivo, na última sexta-feira, 6 de janeiro, aprovamos em votação o novo projeto editorial. Participaram da reunião os quatro integrantes do conselho editorial, três editores e a liderança do setor de mídia. Todos votaram a favor do projeto.

Anunciamos, ainda, o ingresso de Luiza Zacarias como editora-adjunta, cargo administrativo com posição no conselho editorial.

Nosso novo projeto editorial se divide em 4 setores. São eles:

  • Edições digitais: a produção de conteúdo escrito agora se volta para edições digitais publicadas a cada 45 dias, totalizando 8 ao ano. As edições serão temáticas e todos os formatos de texto anteriormente publicados na revista serão exclusivo para as digitais. Elas permanecerão gratuitas e disponíveis para download em nosso site. Todos os textos irão ao ar no site após o lançamento das edições.
  • Site: em nosso novo projeto, o site da revista será mantido por reportagens, que serão limitadas ao site; e entrevistas. Artigos só serão publicados no site por motivos adversos, como fator histórico e temporal.
  • Reportagens: nosso setor de reportagens agora está em encargo da editora-chefe, com auxílio dos assistentes editoriais, e publicará apenas pautas relacionadas, voltadas ou que envolvam a juventude de alguma forma. Não repercutiremos notícias de outros veículos sem apuração própria.
  • Audiovisual: além do site, entrevistas serão publicadas em formato de podcast, visando aumentar a acessibilidade do conteúdo. Também voltaremos com temporadas semestrais do podcast Sabiá Explica.

Anunciamos de antemão que o tema para a nova edição digital, de número , será “Mudanças para 2023”. Lançaremos na primeira semana de março. Leitores que queiram ter textos publicados nas edições digitais devem enviá-los por este e-mail.

Compreendemos que em um mundo onde jovens são treinados a terem conteúdo e entretenimento constante, alguns de nossos leitores possam discordar do novo projeto editorial, mas pedimos confiança e paciência.

Estamos muito animados com o novo editorial e temos certeza que os leitores amarão os novos conteúdos e projetos.

Assinam
Conselho editorial
Sofia Schurig
Luiza Zacarias
Bruna Dalmas
Gabriel Sampaio

Editores
Leonardo Dresch
Giovana Batisti
Mariana Passos

Liderança de mídia
Caru Campos

Assistentes editoriais
Sofia Augusto
Carla Queiroz

Sabiá

revista o sabiá é uma revista independente, digital e sem fins lucrativos. Surgimos com o propósito de democratizar o acesso à informação de qualidade para a juventude brasileira, seja ela a informação acadêmica, jornalística, científica ou cultural.

Acreditamos que tanto o jornalismo como a comunicação possuem o potencial de mudar o mundo, sendo necessário reaver a sua função social. Ao longo da história moderna, o senso comum costuma lembrar do lado negativo que a imprensa ao contribuir ou participar de narrativas políticas polêmicas. Nós, pelo contrário, gostamos de pensar que a imprensa teve um papel essencial em eventos como o Maio de 1968, a Primavera Árabe e muitos outros.