revista o sabiá

15 anos por uma prova

“Finalmente era o fim daquele ciclo de 15 anos. Era meu último dia de colégio, todos vivíamos aquele misto de alívio por podermos finalmente descansar e medo da incerteza do futuro. Afinal, dali a alguns dias, estaríamos todos fazendo vestibular. Nos preparamos todos esses anos para essa prova e ela sem dúvida marcará nossa passagem […]

Identidade em lugares inusitados

A cena que inicia “O Poderoso Chefão” – toda a família e amigos reunidos para o casamento da Connie – fez-me lembrar de uma (talvez a única) festança de família a que fui quando era ainda muito pequena. Mas, tudo bem, há duas enormes diferenças entre a festa de Natal da minha família e o casamento da filha do Don Corleone: minha família é composta de descendentes de portugueses que têm pouquíssimos laços com suas origens culturais.

Gracias a la pelota

“Acordei animado naquele dia. Eu era bem moleque ainda, devia ter uns 13 anos, e era dia de jogo do Brasil na Copa do Mundo. Pela primeira vez, eu poderia assistir a um Brasil x Argentina em pleno mundial, todos estávamos ansiosos, exceto por uma coisa, na verdade, alguém: Diego Armando Maradona.”

Conforme planejado, não aconteceu.

Às segundas se iniciam com uma enxurrada de argumentações de pôr que eu deveria modificar alguns dos meus comportamentos e não realizar algumas atividades que chamo de “perda de vitalidade”. Enfática, começo: não consumir muito álcool e cigarros, não passar tanto tempo no celular enviando memes e sendo fofa e meio psicanalítica com gente escrota que só sabe ferrar […]

O julgamento do século – atualmente esquecido.

Bem, é claro que estamos falando da perseguição contra Julian Assange. Seu julgamento foi denominado pelas grandes mídias como o julgamento do século devido a sua importância, mas, convenientemente, foi esquecido. Pandemia, protestos e manifestações ao redor do mundo, catástrofes climáticas; sim, o mundo passou por muita coisa este ano e acompanhar tudo o que […]

Indecifráveis papéis

“Nasci no interior, cidade pequena, daquelas que quase ninguém sabe que existe. Meu pai era pescador, “cabra macho” daqueles bem tradicionais, e minha mãe era costureira de mão cheia. Morávamos nós três e meus quatro irmãos naquela casinha que meu avô havia construído quando ainda era vivo; nenhum espaço, mas fazíamos ser o necessário”.

Transmutação política

Durante mais de uma década, eu me recusei a assistir a animes [OK, exceto quando faltava à escola porque estava doente e “Pokémon” era a única coisa passando na TV]. Eu acho que sempre tive algum preconceito enraizado no fundo da minha cabeça, mas nunca cheguei a entender direito a origem disso. Porém, para as […]

Você só é incrível porque não te conhecem.

De perto são chatos. A distância maximiza a fantasia de ideal. Fernanda tinha vinte e quatro anos quando ouviu da sua mãe, Andréia, pela primeira vez, que era chorona e demandava atenção dos outros por causa de “coisas da vida”. Fernanda gostava de Almodóvar, de Édith Piaf; mas amava mesmo Shakespeare, Winnicott e falava com […]

Memória e Sangue

Sempre houve algo de estranho no dia de Finados para mim. Céu nublado, às vezes um chuvisco, algum famoso falecido 2 ou 3 dias antes para completar a “funebricidade” daquele feriado. Desde o falecimento da minha vó, católica ferrenha assim como a data, decidi que era necessário entender a morte de forma diferente, mas isso […]