revista o sabiá

2020: O ano do estrangeirismo.

“Então atirei quatro vezes ainda num corpo inerte em que as balas se enterravam sem que se desse por isso. E era como se desse quatro batidas secas na porta da desgraça.” Albert Camus, O estrangeiro – 1942 O romance existencialista do jornalista, filósofo e escritor francês, Albert Camus, é considerado uma das obras mais […]

Rupi Kaur, A Poetisa do Nosso Fim de Mundo

Para Fel“Artista independente carrega no peito a responsa” – Criolo O Alto e o Baixo Quando a Gente Fala Sobre Literatura No ano novo do já longínquo 2019, saiu na revista The New Republic uma matéria, escrita por Rumaan Alam [1], falando que Rupi Kaur era a poetisa do século. Maior parte das pessoas que […]

Permita-se ver o final feliz

É fácil resumir “Sing Street” em uma sinopse: Conor Lawlor (Ferdia Walsh-Peelo) conhece e encanta-se por Raphina (Lucy Boynton), uma aspirante a modelo e, para impressioná-la, resolve convida-la a participar da gravação do videoclipe de sua banda; só que ele não faz parte de banda alguma, então precisa recrutar integrantes o mais rápido possível e […]

Passeios despretensiosos levam para dentro.

Na semana passada, no Uber, vi um senhor que vendia churros conversar com um pombo que estava à espreita de algumas migalhas. O trânsito estava parado e eu, cansada do celular, tentava observar o que me restava naquele momento. Confesso que, por vezes, não é tarefa fácil manter-se no presente diante de tantas notificações que […]

Por que você está Tremendo, Folha? Uma Resposta à Coluna de Joel Pinheiro da Fonseca

Quem Tem Medo do Comunismo? Para certas pessoas, não há maior ofensa do que chamar o seu adversário político de stalinista. Desde um académico tentando estrangeiro silenciar um jovem intelectual negro até os homens esclarecidos do jornal Folha de São Paulo, o termo “stalinista” é o que mais suscita medo, nojo e controvérsia, mas porquê? […]

A Subjetividade Literária da Esquerda – parte 2.

A Subjetividade Literária da Esquerda: primeiro artigo. O Niilista O segundo processo que é gerado pelo espontaneísmo individualista é o desgosto. Períodos de manifestação e contestação à ordem vigente, quando não acabam por gerar um processo revolucionário vitorioso, acabam por criar um refluxo social na qual se sai dois tipos de reacionarismo: o ativo que […]