DEZEMBRO_2021

Muito obrigado

Oi! Tudo bem? Acho que todo mundo que já leu alguma crônica minha sabe que eu gosto de conversar com quem tá aí desse lado da tela. Talvez esse seja o último texto de 2021 da Sabiá, mas vamos sem melancolia, só papo mesmo.

A redenção pela Arte: mil e uma vidas

Apesar de pecar pela descrença, sem saltar na fé, discordo da constatação de “ser a vida uma só”. Parece-me improvável um paraíso pós-existência, a reencarnação – o que jamais me permitirá negá-las; quem sabe algum dia acreditarei em alguma ideia religiosa. Se inexistem vidas-outras como sugerem as religiões, como vivê-las?

Entre a Lua e o Sol, a Beleza e o Terror

Ontem à noite um violinista tocava na calçada em frente de casa. Entre as músicas, destacaram-se tanto As Rosas Não Falam quanto Eu Sei Que Vou Te Amar. Hoje de manhã um policial militar espancava um rapaz negro suspeito de roubo na calçada em frente de casa. Os pedestres, feito uma plateia apática, ignoravam.

Nós não podemos mudar o mundo sem você

Já faz algum tempo que me pergunto o porque nada publicado pela imprensa, no mundo todo, parece ter efeito. Durante os últimos dois anos, parece que a maior quantidade de escândalos internacionais e nacionais foram revelados pela imprensa, tanto hegemônica quanto independente, mas ninguém dá bola. Nada vai para a frente, não há mudança. O …