revista o sabiá

O homem e a menina

“Saí da casa do meu tio e fui até a praia mais próxima olhar o mar. Enquanto as águas batiam no meu pé e o vento fazia minha blusa larga colar no corpo, vi um homem e uma criança. Não sei se eram pai e filha, irmãos ou qualquer outra coisa, mas me lembrou meu pai.”

Meus 11 anos

Meu aniversário sempre foi o meu dia favorito. Quando fiz 11 anos e mudei para uma escola nova, maior e diferente, ganhei tantos presentes, que me fizeram sentir a pessoa mais importante do mundo. Entre eles tinha um elefante de bolinhas de isopor.

A Hora e a Vez do Negacionismo

No início da pandemia, denominamos de “negacionista” quem recusava-se a admitir os fatos sobre o coronavírus. Mas os acusadores agora comportam-se como os acusados – e a verdade continua difícil de confessar.

Uma ave bailarina

Ao passo que os fogos se afirmavam no firmamento, uma ave dançava um balé sem direção definitiva. De repente, sem nenhum passo atípico, tal animal fugiu sob meus olhos. Assim, feito uma ave bailarina rasgando caminhos improvisados entre explosões coloridas, o ano se anunciava independente, livre dos desígnios de domínio dos Sapiens.